terça-feira, 12 de julho de 2011

Casamento entre macacos chama a atenção de autoridades e defensores de animais


Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR 
12/07/2011 | 10h29 | Índia

Raju e Chinki conhecem bem a situação pela qual os personagens Maya e Raj, de Juliana Paes e Rodrigo Lombardi, na novela de 2009 "Caminho das Índias", tiveram que passar: um casamento arranjado, de acordo com as crenças hindus. A diferença é que Raju e Chinki são macacos e passaram por maus tratos antes e depois da cerimônia realizada na Índia.
O casamento entre os animais aconteceu na aldeia Talwas, no estado de Rajasthan, e chamou a atenção de autoridades e defensores dos direitos dos animais. O noivo Raju e a noiva Chinki se casaram em uma floresta depois que policiais florestais foram até o local onde a cerimônia seria realizada.
Centenas de convites para o casamento foram enviados para moradores das redondezas de Talwas. Uma grande festa pré-nupcial também foi organizada, com direito a uma procissão de Raju em cima de um cavalo.
O casamento foi planejado rigorosamente de acordo com os costumes da religião hindu, que considera os macacos deuses. Os rituais incluem sete voltas em brasas sagradas enquanto os votos da união são recitados pela autoridade religiosa.
A união, digna de uma produção de Bollywood, mostra como a tradição do casamento arranjado vai além das relações humanas. Segundo oficiais do Departamento Florestal da Índia, o casamento entre Raju e Chinki foi ilegal. A Lei de Proteção à Vida Selvagem, de 1972, proíbe adestrar ou treinar macacos por quaisquer meios, e, apesar da lei nem sempre ser cumprida, o casamento não poderia ter sido realizado.
Apesar da tentativa dos moradores de esconder a cerimônia, os macacos já foram encontrados pelas autoridades, que vão libertá-los. Chinki foi encontrada acorrentada a uma árvore e com a tradicional marca vermelha na testa, que indica o compromisso.
Essa não foi a primeira vez que um casamento entre macacos veio a público na Índia. Em fevereiro de 2008, a união de um casal de animais foi realizada, mas não provocou tanta reação contrária porque os dois macacos foram libertados do cativeiro depois de terem sido casados.
Da Agência O Globo


Cogumelo que emite luz é 

encontrado no Brasil após 170 anos

O  Neonothopanus gardneri  é o maior fungo bioluminescente do Brasil e um dos maiores do mundo. Foto: Cassius V. Stevani/IQ/USP /BBC Brasil
Neonothopanus gardneri é o maior fungo bioluminescente do Brasil e um dos maiores do mundo
Foto: Cassius V. Stevani/IQ/USP /BBC BrasilPesquisadores encontraram no Piauí um cogumelo que emite luz e que tinha sido avistado pela última vez há quase 170 anos. A pesquisa do grupo de cientistas da USP e das universidades americanas de San Francisco e de Hilo, no Havaí, será publicada na revista científica Mycologiahttp://noticias.terra.com.br

Polícia apreende em fazenda do RS veado ameaçado de extinção

O animal tem cerca de 2 meses de vida. Foto: Comando Ambiental da Brigada Militar/Divulgação
O animal tem cerca de 2 meses de vida
Foto: Comando Ambiental da Brigada Militar/Divulgação
O Grupo de Polícia Ambiental (GPA) da Brigada Militar de Nonoai (RS) apreendeu na sexta-feira um filhote de veado-virá (Mazama gouazoubira), espécie ameaçada de extinção no Rio Grande do Sul. O animal foi localizado em uma propriedade rural no município de Erval Grande, norte do Estado.
http://noticias.terra.com.br

Apreensão de animais terá início em breve

Animais soltos na rua serão recolhidos por uma equipe da Vigilância Patrimonial. Serviço de apreensão e recolha deve começar atendimento em breve

Comissão aprova fim de tributo sobre venda de animais para reprodução

Isenção da contribuição previdenciária atinge também o sêmen, além de produtos vegetais, como sementes e mudas.



Curso de Veterinária vai além do cuidado com pequenos animais

Entre as atividades dos veterinários, está a fiscalização de estabelecimentos que produzem alimentos de origem animal
http://noticias.terra.com.br


Encontro em Londres discute se 'monstros marinhos' podem existir
Os monstros marinhos relatados durante milênios podem realmente existir - e eles não seriam remanescentes dos dinossauros, mas espécies ainda não descobertas. A Sociedade Zoológica de Londres (ZSL, na sigla em inglês) realizou nesta terça-feira um encontro sobre a possibilidade desses seres realmente existirem e se a criptozoologia, área que estuda animais lendários e hipotéticos, pode ser considerada uma ciência. http://noticias.terra.com.br

Dourados registra 271 ataques de animais

Animais que sofrem mal tratos ou passam fome são os mais aptos a agredir




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário